Doenças comuns, alimentos comuns.

Será que estamos condenados a sofrer com as doenças dos nossos avós? Hipertensão, diabetes, colesterol alto, osteoporose… Essas doenças são, realmente, doenças da velhice?

comida-doenças-grão-paleo

Como jé discutido neste post, os grãos foram introduzidos como base da nossa alimentação sem nenhum interesse real em nossa saúde. E sim, interesse comercial. Desde a revolução industrial, várias doenças antes inexistentes começaram a aparecer.
O meu ponto neste post é deixar claro que não acredito que todas as pessoas querem ser marombas, ter barriga de tanquinho ou um corpo invejável na praia. (Apesar de poderem ser assim, se quiserem.)
Mas, acredito que todas as pessoas gostariam de ter uma vida tranquila e não precisar comprar roupas novas cada vez maiores a cada ano que passa. Acredito que ninguém quer sentir dores no estômago, crises renais, enxaqueca ou passar por uma cirurgia de remoção da vesícula biliar.
Acredito que ninguém quer trabalhar durante 30 anos da vida para se tornar um idoso que gasta boa parte do seu tempo e dinheiro em consultas médicas e medicamentos. Não sabemos o segredo da juventude eterna, mas sabemos o segredo para evitar as doenças que mais matam hoje em dia.
A velhice não é uma maldição: a velhice é a consequência das escolhas que você faz todos os dias. Não se conforme, comece HOJE o que pretende continuar fazendo pra sempre. Tic…Tac…

  • Atleta brasileira de fisioculturismo, 53 anos
  • Ginasta, 82 anos
  • Atleta de calistenia, 73 anos

Independente da dieta que escolher fazer, lembre-se que a melhor dieta é a quela que você vai conseguir sustentar por bastante tempo. Além disso, lembre-se que não é só o que você põe em sua boca que importa, a dieta é apenas um dos componentes para uma vida saudável. Dito isto, em resumo:
Está com a saúde OK e não quer perder peso? -> Baseie sua alimentação em vegetais diversos, inclusive batatas e mandiocas. Coma proteínas de origem animal sem retirar a gordura natural delas. Elimine açúcar, trigo e soja de sua alimentação e evite o consumo de grãos e alimentos industrializados.
Está acima do peso, diabetes, resistência à insulina, hipertensão? -> Baseie sua alimentação em vegetais diversos, não consuma vegetais ricos em amido (batatas, mandioca). Consuma proteínas animais com sua gordura natural e adicione gordura para atingir a saciedade. Elimine açúcar, trigo, soja e outros grãos de sua alimentação. Elimine industrializados.
Doença auto-imune?Baseie sua alimentação em vegetais diversos, inclusive batatas e mandiocas. Coma proteínas de origem animal sem retirar a gordura natural delas. Elimine açúcar, trigo, soja, todos os grãos, laticínios, alimentos embutidos e industrializados de sua alimentação.
Prefere não comer gordura saturada? Faça a versão mediterrânea da dieta, com azeite, castanhas e peixes.  


Falaremos mais pra frente como otimizar uma dieta vegetariana e também sobre as opiniões diversas sobre os laticínios.
Conte o que achou do post! Está fazendo a dieta? Está pensando em fazer? O que as pessoas ao seu redor acham dessa dieta?


Este post foi inspirado nos vídeos da”Conferência Nutrição e Doenças Ocidentais” (tradução livre: Dietary Controversies and the role of nutrition in Western Disease) realizado na Royal Society of Medicine, em Londres, 2015. Cheguei até esses vídeos por este blog.

(1) Nwankwo T, Yoon SS, Burt V, Gu Q. Hypertension among adults in the US: National Health and Nutrition Examination Survey, 2011-2012. NCHS Data Brief, No. 133. Hyattsville, MD: National Center for Health Statistics, Centers for Disease Control and Prevention, US Dept of Health and Human Services, 2013
(2) CDC, NCHS. Underlying Cause of Death 1999-2013 on CDC WONDER Online Database, released 2015. Data are from the Multiple Cause of Death Files, 1999-2013, as compiled from data provided by the 57 vital statistics jurisdictions through the Vital Statistics Cooperative Program. Accessed Feb. 3, 2015.
(3)  Carrera-Bastos et al. The western diet and lifestyle and diseases of civilization. Research Reports in Clinical Cardiology 2011:2 15–35
(4)  Oliver WJ, Cohen EL, Neel JV. Blood pressure, sodium intake, and sodium related hormones in the Yanomamo Indians, a “no–salt” culture. Circulation. 1975;52(1):146–151.
(5)  Lindeberg S, Eliasson M, Lindahl B, Ahren B. Low serum insulin in traditional Pacific Islanders: the Kitava study. Metabolism. 1999; 48:1216–1219.
(6)  Lindeberg S, Soderberg S, Ahren B, Olsson T. Large differences in serum leptin levels between non-Westernized and Westernized populations: the Kitava study. J Intern Med. 2001;249:553–558.
(7)  Cordain L, Eaton SB, Brand Miller J, et al. An evolutionary analysis of the etiology and pathogenesis of juvenile-onset myopia. Acta Ophthal Scand. 2002;80:125–135.
(8)  Lindeberg S. Food and Western Disease: Health and Nutrition from an Evolutionary Perspective. Chichester, UK: Wiley-Blackwell; 2010.
(9) Cordain L, Lindeberg S, Hurtado M, et al. Acne Vulgaris: A Disease of Western Civilization. Arch Dermatol 2002; 138: 1584-1590.
(10) Tsai CJ, Leitzmann MF, Willett WC, Giovannucci EL.Dietary carbohydrates and glycaemic load and the incidence of symptomatic gall stone disease in men. Gut. 2005 Jun;54(6):823-8. 
(11) Liu, Z., Li, N. and Neu, J. (2005), Tight junctions, leaky intestines, and pediatric diseases. Acta Paediatrica, 94: 386–393
(12) Greenwood DL1, Crock P, Braye S, Davidson P, Sentry JW.Eur J Pediatr. Autoimmune gastritis and parietal cell reactivity in two children with abnormal intestinal permeability. 2008 Aug;167(8):917-25
(13) Sasso et al. Gut 2004;53:1878-1880. Ultrastructural changes in enterocytes in subjects with Hashimoto’s thyroiditis. 
(14) Hamilton I, et al. Small intestinal permeability in dermatological disease.Q J Med. 1985 Sep;56(221):559-67. 
(15) O’Dea K, Patel M, Kubisch D, et al. Obesity, diabetes and hyperlipidaemia in a Central Australia Aboriginal community with a long history of acculturation. Diabetes Care. 1993;16:1004–1010.
(16) Raiten, et al. Inflammation and Nutritional Science for Programs/Policies and Interpretation of Research Evidence (INSPIRE). J Nutr. 2015 May; 145(5): 1039S–1108S.
(17) Jablonski and Chaplin. Human skin pigmentation as an adaptation to UV radiation. Proc Natl Acad Sci U S A. 2010 May 11; 107(Suppl 2): 8962–8968.
(18)  Loren Cordain et al. Origins and evolution of the Western diet: health implications for the 21st century. Am J Clin Nutr February 2005. vol. 81 no. 2 341-354
(19) Sellen DW. Comparison of infant feeding patterns reported for nonindustrial populations with current recommendations. 
J Nutr. 2001 Oct;131(10):2707-15.
(20)  Hiza L. Bente. Nutrient Content of the U.S. Food Supply, 1909-2004. A Summary Report H.A.B. Center for Nutrition Policy and Promotion U.S. Department of Agriculture. Home Economics Research Report No. 57 February 2007.
(21) Burkitt. Br Med J. 1973 Feb 3; 1(5848): 274–278. Some diseases characteristic of modern Western civilization.
(22) Simopoulos AP. The importance of the ratio of omega-6/omega-3 essential fatty acids.Biomed Pharmacother. 2002 Oct;56(8):365-79.
(23) Kelly SAM, Summerbell CD, Brynes A, Whittaker V, Frost G. Wholegrain cereals for coronary heart disease. Cochrane Database of Systematic Reviews 2007, Issue 2. Art. No.: CD005051